Seu peludo está com perda de pelos? Pode ser Alopecia X!

Olá pessoal!

Hoje queremos chamar atenção para um assunto pouco conhecido ainda, mas que aparece a cada dia mais e mais deixando os tutores de cabelo em pé pela falta de diagnóstico (ou diagnóstico errado!), que é a perda de peludos nos cães, uma doença conhecida pelo nome de Alopecia X!

Acontece em raças primitivas e atualmente temos verificado grande incidência em cães da raça Spitz Alemão. Por ser uma condição provavelmente hereditária, vale pesquisar muito antes de adquirir um filhotinho destas raças…. ver os pais, avós, irmãos de outras ninhadas…. Aliás, isso deve ser feito sempre, independente da raça!

Veja algumas imagens abaixo.

Alguns sinais que os tutores de Spitz Alemão devem observar são:

– Filhotes que não passam pela primeira troca de pelos aos 4-5 meses;

– Alteração na textura da pelagem: fica lanosa e ressecada, perda dos pelos primários, ficando apenas o subpelo;

– Início de perda de pelos, em geral, pelas coxas posteriores e períneo; algumas vezes também no pescoço;

– Dorso e cauda são outras regiões atingidas, progredindo pelo restante do corpo;

– Não causa coceira;

Caso você note algum destes sinais, procure um veterinário endocrinologista para que ele te ajude com o diagnóstico e tratamento correto, assim seu peludo poderá ter sua linda pelagem de volta.

Ah e lembre-se sempre: um peludo com Alopecia X não deve nunca cruzar!

 

A Dra Jean Dodds, uma das mais brilhantes veterinárias atualmente, nos presenteou com um texto super bacana sobre a Alopecia X, muito esclarecedor. Nós traduzimos pra vocês abaixo e, ao final, segue o link para o texto original.

Boa leitura!

Fabiana Barruffini

____________________________

 

Alopecia X é possivelmente um dos maiores mistérios da medicina veterinária nos dias de hoje. Nós temos uma ideia do que está acontecendo, mas continuam a circular dúvidas em torno da causa ou das causas exatas. Na verdade, eu não quero abordar os inúmeros nomes descritivos, história da pesquisa, ou a pesquisa atual que está sendo realizada, uma vez que pode desviar o foco do que você precisa fazer para o seu cão. Neste momento, o diagnóstico de Alopecia X é um processo de eliminação, e tratar Alopecia X é um processo de tentativa e erro.

 

Vamos voltar um minuto … o que é alopecia? Alopecia é a perda de pelos e é um sintoma de muitas condições. Alopecia X é o nome atual de uma condição idiopática (desconhecida) que é, mais provavelmente, hereditária. Nós acreditamos que é hereditária ou tem uma predisposição genética porque afeta principalmente raças nórdicas, como o Husky Siberiano, Malamute, Chow Chow, e Samoieda, bem como as raças Spitz, tais como Pomerânia e Keeshond, e Poodle Toy. A Alopecia X afeta predominantemente machos – mas não exclusivamente – e pode acontecer em qualquer idade a partir da puberdade. Depois que o pelo cai, nunca volta. Normalmente, os veterinários vão notar uma perda gradual e simétrica de pelos sobre o corpo e as patas traseiras, enquanto a cabeça e os membros anteriores preservam o pelo.

 

Minha preocupação aqui é a necessidade de confirmação do diagnóstico, já que tem havido uma tendência para excessos, causado pela vaga apresentação acima da Alopecia X. Como eu sempre digo, o diagnóstico é uma exclusão de diagnósticos….

O paciente deve ser testado para as seguintes condições, nesta ordem:

– Hipotireoidismo – distúrbio endócrino;

– Doença de Cushing – distúrbio endócrino;

– Adenite sebácea – condição auto-imune;

– Sarna demodécica – Condição causada por ácaros Demodex;

– Infecções bacterianas;

– Infeções por fungos.

Testando para essas condições, outras podem ser auxiliares, causando a perda de pelos pelo fato do cão se coçar:

– Sensibilidades alimentares – NutriScan é o teste que eu recomendo;

– Sensibilidades ambientais e/ou sazonais;

– Sarna.

Uma vez que estas outras condições tenham sido excluídas ou se estiverem simultaneamente presentes e a perda de pelos continua, os veterinários têm várias ferramentas diferentes à sua disposição. Nenhuma delas é eficaz para todos os cães, então é um processo de tentativa e erro.

 

A castração – Após este procedimento cirúrgico, podemos notar que o pelo vai crescer de volta, mas pode eventualmente parar de crescer novamente. Acima eu mencionei que os sintomas geralmente ocorrem durante ou após a puberdade. Assim, a castração e esterilização, basicamente levam o cão de volta a um estado pré-púbere. No entanto, digo isto com cautela: ainda pode haver uma associação com os hormônios sexuais, embora os exames de hormônios esteróides sexuais adrenais não revelem uma anomalia.

Melatonina – A melatonina tem sido considerada eficaz em cerca de 30-40% dos casos, mas pode causar reações adversas em cães com diabetes. Apenas melatonina pura deve ser usada por pelo menos 2 meses antes da definição se está realmente funcionando. Procure seu médico veterinário para aferir a dose correta.

Hormônios de crescimento – Hormônios de crescimento e drogas que alteram a produção de cortisol pelas adrenais é o menos aconselhável, já que os efeitos colaterais superam os benefícios.

Microagulhamento – Este tratamento experimental foi realizado em apenas dois Pomerânias. Ambos os cães apresentaram melhora de 90% na pelagem em 12 semanas; a nova pelagem permaneceu estável por 12 meses.

[Aqui faço um parêntesis para colocar um link do site do Dr Alexandre Bastos, médico veterinário endocrinologista, que realiza o procedimento de microagulhamento em São Paulo e tem tido excelentes resultados – www.endocrinologiaveterinaria.com]

A melhor solução é certificar-se de que um cão diagnosticado com Alopecia X esteja sempre protegido por uma peça de roupa, em todos os momentos em que estiver fora de casa.

Jean Dodds, DVM

Hemopet / NutriScan

Texto em inglês: http://drjeandoddspethealthresource.tumblr.com/post/149607722116/alopecia-x-in-dogs#.V8WEzfkrLZ6

 

Referências

 

Cerundolo R and Lloyd D. Alopecia X in Chows, Pomeranians and samoyeds. Vet Rec, 143(6): 143, 1998.

 

Frank, Linda A., DVM. “Hair Loss.” The University of Tennessee College of Veterinary Medicine, n.d. Web. 28 Aug. 2016. http://www.vet.utk.edu/hairloss/.

 

Schilly DR and Panciera DL. Challenging cases in internal medicine: What’s your diagnosis?  Vet Med, July: 600-604, 1997.

 

Stoll, S., Dietlin, C. and Nett-Mettler, C. S. (2015), Microneedling as a successful treatment for alopecia X in two Pomeranian siblings. Vet Dermatol, 26: 387–e88. doi:10.1111/vde.12236

 

www.endocrinologiaveterinaria.com

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *